string(66181) "


	Blog da Marelli – Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!
	
	https://blog.marelli.com.br
	
	Fri, 04 Oct 2019 14:44:12 +0000
	pt-BR
	
	hourly	
	
	1	
	https://wordpress.org/?v=5.2.4


	https://blog.marelli.com.br/wp-content/uploads/2018/07/oie_transparent-150x150.png
	Blog da Marelli – Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!
	https://blog.marelli.com.br
	32
	32
 
	
		Como instalar piso elevado para escritório: etapas da aplicação
		https://blog.marelli.com.br/pt/como-instalar-piso-elevado/
				https://blog.marelli.com.br/pt/como-instalar-piso-elevado/#respond
				Wed, 25 Sep 2019 12:00:58 +0000
		
				

		https://blog.marelli.com.br/?p=4361
				

A mobilidade do piso elevado o torna ideal para os ambientes corporativos que precisam de praticidade, resistência e flexibilidade. Se você está desenvolvendo um projeto, especialmente os de reforma de escritório, vai gostar de entender melhor como instalar piso elevado. Um processo de preparação e instalação correto evita erros durante o trabalho que podem comprometer […]

O post Como instalar piso elevado para escritório: etapas da aplicação apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>

A mobilidade do piso elevado o torna ideal para os ambientes corporativos que precisam de praticidade, resistência e flexibilidade. Se você está desenvolvendo um projeto, especialmente os de reforma de escritório, vai gostar de entender melhor como instalar piso elevado.

Um processo de preparação e instalação correto evita erros durante o trabalho que podem comprometer toda a estrutura desse tipo de piso.

Continue lendo e entenda os cuidados, como instalar o piso elevado para escritório e os cuidados para fazer a aplicação correta.

Já falamos aqui no blog sobre as vantagens de usar o piso elevado como solução em projetos de para ambientes corporativos. Vale sua leitura depois desse artigo!

Como instalar piso elevado: guia para aplicação

aplicacao-piso-elevado

1 – Planejamento da obra

Antes de entrarmos na parte prática de como aplicar o piso elevado, é importante lembrar do planejamento da obra.

É nessa fase que é discutido e decidido como será o projeto e quais soluções serão consideradas de acordo com o ambiente e as funções que serão desempenhadas nele.

Ao bater o martelo sobre a utilização do piso elevado, chame os engenheiros para que todas as medições sejam feitas corretamente. 

Com essas informações em mãos, o tipo de piso elevado pode ser escolhido, assim como o tipo de revestimento e a quantidade certa e todos os outros  materiais para aplicação.

Tipos de revestimento

Outro detalhe que vai fazer a diferença e dar o toque final ao instalar o piso elevado é o tipo de acabamento que será usado.

Esta escolha pode entrar na fase de planejamento da obra para que o trabalho ganhe agilidade.

Entre os materiais de revestimento mais usados temos os vinílicos, laminados, granitos e porcelanatos. A preferência de cor, textura e material depende do mood do ambiente que está sendo trabalhado.

Recomenda-se evitar o carpete, pois ele tira a principal característica do piso elevado que é a mobilidade.

2 – Preparo para aplicação de piso elevado

Com o planejamento da obra definido, as etapas seguintes do projeto de construção/reforma podem acontecer normalmente. 

Detalhes como acabamentos, forro e pintura, dentre outros devem ser concluídos e só então você pode instalar o piso elevado. Outros preparos incluem:

  • limpeza de todo o local — varrendo ou lavando, caso necessário;
  • eliminação dos entulhos de obra;
  • verificação da regularidade da superfície para que no nivelamento esteja 100% alinhado.

Este último item é fundamental no preparo antes de instalar o piso elevado. Se existirem depressões, trincas ou umidade na superfície, o nivelamento do piso elevado ficará comprometido. 

Se o chão não ficar no nível correto pode prejudicar a instalação de outros itens do projeto como as divisórias piso-teto ou outros tipos de equipamento que exigem uma superfície uniforme. 

Com os equipamentos e ferramentas necessárias e o material do piso elevado em mãos é hora de começar a montar. 

Garanta que a equipe esteja com todos os itens de equipamentos de proteção individual (EPIs) para segurança e estará tudo pronto para começar a instalar o piso elevado. 

3 – Como instalar piso elevado: passo a passo

instalar-piso-elevado-passo-a-passo

Você cumpriu as etapas acima, então está pronto para aprender como instalar o piso elevado.

O primeiro passo é fazer a marcação no chão para definir os pontos de nível. É importante destacar aqui que a altura para a elevação do piso já deve estar adequada para a aplicação da estrutura.

Esse é um fator importante, pois a altura do piso em relação ao teto vai determinar a altura da estrutura de sustentação. 

O segundo passo é organizar os materiais para montagem da estrutura e montá-las para serem distribuídas na superfície.

Os pedestais para instalar o piso elevado são formados por:

  1. Base;
  2. Tubo PVC;
  3. Disco rosqueável;
  4. Rosca;
  5. Espaçador;
  6. Amortecedor.

A montagem segue exatamente esse sentido e a quantidade de pedestais será de acordo com o tamanho da superfície. Além da estrutura em PVC, existe também o pedestal todo em metal, o que varia de acordo com o fabricante.

Com os pedestais posicionados começa a aplicação do piso elevado em si. Nesse processo, a linha de nylon e o gabarito de madeira serão fundamentais para orientar a instalação das placas e garantir o nivelamento do piso.

Caso hajam interferências no chão que necessitem de recorte, os locais devem ser marcados com antecedência, mas serão ajustadas apenas no final da aplicação.

Os técnicos medem os espaços e fazem o corte das placas para que sejam ajustadas de acordo com a necessidade do piso.

4 – Erros mais comuns ao instalar o piso elevado

O nivelamento é o erro mais comum que pode acontecer durante a aplicação do piso elevado e os mais trabalhoso de corrigir.

Como dissemos no início do post, os ambientes para os quais o piso elevado é usado são os corporativos e os espaços de serviços públicos. 

E o que este tipo de ambiente mais precisa e estar ativo e operando full time, sem interrupções. 

Então se você escolher o piso elevado para o projeto de reforma ou construção de espaços como esses, reforce o cuidado com o nivelamento do ambiente.

Afinal, ele vai sustentar todo o projeto de decoração com mobília, equipamentos, divisórias e tudo o mais que fará o espaço ganhar vida.

Evitando esse erro, você ganha pontos em agilidade e qualidade do trabalho, garantindo a satisfação do cliente com o projeto.

Fique atento também ao acabamento e aos recortes feito para ajustar o piso para que não fiquem arestas que prejudiquem o acabamento. 

Depois de instalar o piso elevado é hora de mobiliar!

É importante saber como instalar o piso laminado para supervisionar a aplicação, mas é importante ter uma equipe especializada nesse trabalho com você.

E, claro, checar se estão por dentro das recomendações do fabricante sobre a marca e o tipo de piso elevado e revestimento a ser usado.

Com tudo pronto, o trabalho de decorar e colocar o espaço no ponto para voltar a funcionar começa. Você vai precisar de cadeiras que se movimentam bem na superfície, ajustar divisórias e muito mais. 

Sabe onde conseguir um fornecedor de confiança para montar um ambiente ergonomicamente planejado e que vai entregar e montar tudo no prazo?  

Nós sabemos da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

O post Como instalar piso elevado para escritório: etapas da aplicação apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>
https://blog.marelli.com.br/pt/como-instalar-piso-elevado/feed/ 0
O que é piso vinílico autoportante? conheça as características e vantagens https://blog.marelli.com.br/pt/o-que-e-piso-autoportante/ https://blog.marelli.com.br/pt/o-que-e-piso-autoportante/#respond Tue, 24 Sep 2019 12:00:41 +0000 https://blog.marelli.com.br/?p=4354

Chegou a hora de escolher o piso para o projeto de reforma de um cliente e você está perdido entre as inúmeras opções que existem. Mas sabe quais características são fundamentais como: ter instalação e manutenção fácil, limpeza prática, material resistente e que provoque pouco ruído. O piso vinílico autoportante pode ser a opção ideal. […]

O post O que é piso vinílico autoportante? conheça as características e vantagens apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>

Chegou a hora de escolher o piso para o projeto de reforma de um cliente e você está perdido entre as inúmeras opções que existem. Mas sabe quais características são fundamentais como: ter instalação e manutenção fácil, limpeza prática, material resistente e que provoque pouco ruído. O piso vinílico autoportante pode ser a opção ideal. Não sabe o que é piso autoportante?

Continue lendo e descubra mais sobre as características que destacam o piso autoportante como a solução adequada para ambientes corporativos.

O que é piso autoportante?

O piso autoportante, também chamado de piso elevado, é composto por placas que são instaladas a uma distância determinada do chão. 

piso-autoportante-estruturaimagem: piso ag.

É um tipo de piso muito utilizado em ambientes corporativos e repartições públicas, devido a flexibilidade que permite em manutenção e reparos.

Nesses ambientes, a rotatividade de pessoas e a evolução natural das atividades pede por um piso duradouro e que permita adaptações no layout dos espaços, sem precisar de alterações estruturais. 

Para torná-lo ainda mais atraente e moderno, o piso autoportante pode ganhar um revestimento em vinil, daí ser bastante conhecido também como piso vinílico autoportante.

Por isso, o piso autoportante é uma das melhores soluções. Ele agrega essas e outras características funcionais e úteis que valorizam o projeto e dão ainda mais longevidade às soluções propostas.

Características do piso vinílico autoportante

A flexibilidade do piso autoportante é realmente um ponto de destaque, pois permite que ele ganhe diversos revestimentos.

As marcas que trabalham com este tipo de piso oferecem diversas opções de revestimentos como o piso vinílico, com aparência de materiais naturais, tecidos, dentre outras opções.

Mas vamos focar nas características do piso autoportante com acabamento vinílico em geral que, geralmente, é o mais escolhidos pelos arquitetos.

Algumas características principais que destacam o piso autoportante são:

1 – Facilidade de instalação

O piso autoportante é composto por placas que são unidas e sustentadas por pilares instalados no chão e unidos por adesivos de fixação ou loose lay (as placas são apenas posicionadas sobre o contra piso sem a necessidade de cola ou clic). Dessa forma, o piso não toca diretamente no chão.

No futuro, se for preciso remover o piso, ele pode ser desmontado e montado novamente sem perder a “cola” que fixa as placas. 

Com isso, a instalação é mais rápida e a composição é naturalmente mais simples. Então em um ambiente de trabalho, por exemplo, em que a equipe não pode deixar de trabalhar enquanto a reforma acontece, o piso autoportante é ideal.

2 – Organização do layout dos espaços

Toda empresa ou local público hoje lida com a tecnologia e com ela vem inúmeros fios, cabos, conectores, extensões e etc.

O espaço deixado entre o piso autoportante e o chão serve para embutir toda essa fiação que, em um piso comum, ficaria aparente.

Assim, os espaços ganham mais mobilidade e a decoração fica mais valorizada e não “briga” com outras soluções poucos eficientes para esconder fios e cabos de dados.

Se a ideia do seu projeto envolve uma espaço clean e com o mínimo de interferências, o piso autoportante cai como uma luva. 

3 – Resistência de tráfego

Em ambientes corporativos e outros espaços público com tráfego intenso de pessoas, o piso é o que mais sofre. E os desgastes como riscos e pisos descansando são tudo o que você quer evitar. 

O piso vinílico autoportante oferece essa resistência e suporta bem os efeitos do uso contínuo, garantindo não só durabilidade, mas também a aparência de novo por mais tempo. piso-vinilico-autoportante-projeto

4 – Conforto térmico e acústico

O silêncio é um tipo de conforto acústico que nenhum projeto deve subestimar. Especialmente quando se trata de ambientes corporativos, o movimento de pessoas deve fazer o mínimo de barulho possível. 

O piso autoportante com revestimento de vinil permite alcançar esse efeito, garantindo um tráfego mais suave e que não causa barulhos indesejáveis prejudicando a concentração e o trabalho como um todo. 

Outro conforto do piso autoportante é que ele não esquenta como o como o carpete no verão e nem esfria tanto como o piso cerâmico no inverno. É uma opção de piso que tem um bom desempenho independente da estação. 

5 – Variedade de texturas

O revestimento vinílico para os piso autoportante pode ser encontrado no mercado em diversas texturas diferentes que imitam outros tipos de acabamento. É possível encontrar estampas com cores e tonalidades diferente como de:

  • Madeira;
  • Têxtil;
  • Cimento;
  • Pedra.

Em um mesmo projeto, é possível personalizar cada espaço com um acabamento diferente ou padronizar com um único revestimento na cor e na textura mais adequada.

Por tanto, a criatividade é o principal combustível para a adoção do piso autoportante ser um sucesso e resultar em um projeto bem planejado do piso ao mobiliário.

6 – Facilidade de limpeza

A facilidade de limpeza é outra característica de destaque do piso autoportante vinílico. E muito vantajosa quando se trata de ambientes corporativos que precisam estar limpos sempre.

O piso facilita a limpeza diária e otimiza o tempo da equipe de de manutenção. Para fazer a limpeza diária basta uma vassoura de pelo ou aspirador de pós e diluir sempre os produtos específicos em água, evitando produtos abrasivos.

Checar as recomendações do fabricante e informar ao cliente é importante para garantir a longevidade, resistência e evitar danos ao material do piso. 

Escolhido o revestimento do piso autoportante é hora da mobília!

Depois de conhecer todas as características do piso autoportante, é hora de focar na mobília já que sua preocupação com fios aparentes não é mais uma questão.

Seu projeto deve ter os melhores móveis, cadeiras confortáveis e esteticamente bonitas para o projeto, além de divisórias que separam com estilo cada ambiente do cliente.

Mas aí bate aquela dúvida, qual o melhor fornecedor de móveis para esse projeto? 

É preciso pensar se a qualidade irá atender seu cliente, se terá a ergonomia adequada e até mesmo se vão entregar e montar no prazo!  

Nós sabemos da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

O post O que é piso vinílico autoportante? conheça as características e vantagens apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>
https://blog.marelli.com.br/pt/o-que-e-piso-autoportante/feed/ 0
14 principais ferramentas do SketchUp para usar o software como profissional https://blog.marelli.com.br/pt/ferramentas-sketchup/ https://blog.marelli.com.br/pt/ferramentas-sketchup/#comments Fri, 13 Sep 2019 16:19:41 +0000 https://blog.marelli.com.br/?p=4240

O SketchUp é um software 3D de design, lançado em 2000 pela startup Last Software. Ao longo dos anos, o programa evoluiu graças a várias melhorias fornecidas por diversas empresas parceiras como o Google. Aprender a criar e utilizar as ferramentas do SketchUp é fundamental para todo arquiteto.  A razão pela qual o SketchUp é […]

O post 14 principais ferramentas do SketchUp para usar o software como profissional apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>

O SketchUp é um software 3D de design, lançado em 2000 pela startup Last Software. Ao longo dos anos, o programa evoluiu graças a várias melhorias fornecidas por diversas empresas parceiras como o Google. Aprender a criar e utilizar as ferramentas do SketchUp é fundamental para todo arquiteto. 

A razão pela qual o SketchUp é um software tão poderoso é que ele foi originalmente criado para os setores de arquitetura, design e produção cinematográfica. 

No entanto, seu principal objetivo sempre foi tornar a modelagem 3D acessível a todos. Isso explica por que o programa é tão intuitivo e tem uma curva de aprendizado tão fácil.

O Sketchup possui suas próprias ferramentas nativas, que são a essência de sua simplicidade. Elas permitem que você navegue, crie e edite um modelo 3D, mas também permite plugins e extensões adicionais.

Neste post vamos listar as ferramentas do SketchUp mais importantes, aquelas que o tornam tão exclusivo. Continue lendo!

4 grupos de ferramentas do SketchUp

1. Ferramentas de desenho

As ferramentas de desenho permitem criar algo do zero. Estas três ferramentas do SketchUp que listamos abaixo são as mais básicas, mas também as mais importantes:

  • Linha: essa ferramenta é usada toda vez que você cria algo no SketchUp. Como ferramenta de desenho, permite criar qualquer superfície 2D conectando segmentos de linha. As linhas podem ser desenhadas nos eixos X, Y e Z com o clique esquerdo do mouse. A tecla de atalho para esta ferramenta é “L”.
  • Arco: funciona de maneira semelhante à ferramenta de linha, mas em vez de apenas desenhar um segmento de um ponto a outro, você designa um terceiro ponto para especificar a curvatura do arco. A tecla de atalho para esta ferramenta é “A”.
  • Borracha: basicamente é usada para apagar os segmentos de linha que você não precisa mais. Funciona ao clicar com o botão esquerdo do mouse sobre qualquer linha. A tecla de atalho é “E”.

2. Ferramentas de Navegação

As ferramentas do SketchUp para navegação permitem que você se mova ao redor da janela principal (viewport) do software. Como você pode imaginar, você vai usá-las constantemente. 

Além de clicar sobre cada uma, você pode acionar os comando pelos botões do mouse ou usando os atalhos de teclas que mostramos logo abaixo:

  • Zoom: essa ferramenta permite aproximar ou afastar o objeto que você está modelando usando a roda de rolagem do mouse, movendo-a para frente ou para trás. É muito útil quando você deseja ver um detalhe menor ou uma visão geral no modelo 3D. A tecla de atalho para esta ferramenta é “Z”.
  • Orbit: Você pode orbitar a visão da câmera pressionando e segurando a roda de rolagem do mouse. Isso é muito útil para explorar os modelos de diferentes ângulos. O atalho para esta ferramenta é “O”.
  • Pan: a ferramenta panorâmica fornece apenas movimentos verticais e horizontais, e é muito útil quando você deseja enquadrar uma cena. Você pode acessar essa ferramenta segurando a roda de rolagem e pressionando Shift ao mesmo tempo. A outra opção é pressionar “H”.

3. Ferramentas de Edição

O SketchUp tem muitas ferramentas de edição e cada uma é um recurso indispensável quando você está tentando alcançar certos resultados. Aqui listamos as ferramentas do SketchUp mais relevantes nesta etapa:

  • Push Pull: sem dúvida Push Pull é uma das ferramentas mais usadas no SketchUp. Isso porque permite que você use uma superfície 2D para convertê-la em uma forma 3D. A maneira mais fácil de acessar essa ferramenta é pressionar a tecla “P”, posicionando o cursor sobre a face desejada e clicando no botão esquerdo do mouse para iniciar a conversão. Você pode atribuir um determinado valor ao bloco numérico ou simplesmente clicar novamente até ficar satisfeito com o resultado.
  • Escala: esta ferramenta permite que você deixe qualquer objeto selecionado maior ou menor usando uma caixa delimitadora com algumas alças. A única coisa que você precisa fazer é selecionar uma alça e mover o cursor para dimensionar seu objeto. Para uma escala uniforme, sempre tente selecionar as alças nos cantos. Você pode acessar facilmente esta ferramenta pressionando a tecla “S”.
  • Mover: para usar essa ferramenta, você deve pressionar a tecla “M” e selecionar o objeto que deseja mover. O lugar onde você clica no objeto será o seu ponto de movimento. Esta ferramenta é usada principalmente para posicionar os objetos em seu modelo.
  • Girar: você pode ativar esta ferramenta pressionando a tecla “Q” e, em seguida, clicar no objeto que você deseja girar. O ponto em que você clica no seu objeto será seu ponto de giro.
  • Offset: o que esta ferramenta faz é gerar uma linha equidistante de qualquer face. O atalho para usar esta ferramenta é pressionar o botão “F” e posicionar o cursor na linha ou superfície que você deseja deslocar. Em seguida, mova o cursor para fora ou para dentro de acordo com o que você precisa e, finalmente, escolha uma distância com o teclado numérico.
  • Follow me: essa é uma das ferramentas mais interessantes que o SketchUp oferece e isso porque permite a exportação de uma superfície ao longo de um determinado caminho. Um Caminho é a diretriz que a superfície que você deseja exportar vai seguir. A maneira mais fácil de usar essa ferramenta é selecionar o caminho com o qual você vai trabalhar e, na barra de ferramentas em Editar, você seleciona a ferramenta “Follow me”. A superfície que você deseja deve ser perpendicular à diretriz selecionada. Depois de dar um clique duplo na superfície, você terá uma forma exportada que segue a direção do caminho.

4. Extensões

O software também possui algumas extensões nativas que você pode ativar através do menu Exibir na barra de ferramentas do SketchUp.

  • Sandbox Tools: este conjunto de ferramentas é usado principalmente para modelagem de terreno a partir do zero ou de linhas determinadas, como curvas topográficas, por exemplo. O que ele faz é criar uma malha triangulada que você possa editar depois de acordo com as necessidades do seu projeto. Funciona de maneira simples, mas precisa de mais recursos de processamento do seu computador. Isso ocorre porque, quando você gera um terreno a partir de contornos existentes, ele completa as faces, tomando essas linhas como referência ou limites.
  • Solid Tools: como o próprio nome indica, este conjunto de ferramentas do SketchUp só funciona com sólidos. Eles podem ser em grupos ou componentes, e o que ele faz é usar operações booleanas para combinar, subtrair, dividir, interceptar ou aparar uma forma da outra. Isso permite que você crie modelos mais complexos e mais limpos. Você também pode ativá-lo no menu Exibir na seção da barras de ferramentas.

Use a Biblioteca 3D da Marelli para montar seu projeto

O SketchUp é um dos softwares de modelagem 3D mais fáceis de aprender, pois a interface bastante simples e as ferramentas do Sketchup são capazes de crescer junto com as habilidades do usuário.

O software tem muitas outras ferramentas nativas úteis e pode se tornar ainda mais poderoso com a instalação de vários plugins e ferramentas desenvolvidas pela comunidade de usuários que cresce diariamente.

Uma coisa é certa: para qualquer projeto que você tenha em mente, há uma ferramenta do Sketchup que pode ajudá-lo de maneira altamente eficiente.

E com a nossa Biblioteca 3D você vai conseguir montar projetos ainda mais incríveis e realistas com o domínio que você já tem das ferramentas do SketchUp. Acesse e confira os modelos de cadeiras, mesas e divisórias de ambientes e impressione seu cliente!

E para fechar com chave de ouro, foco no cliente!

Agora que você sabe a melhor forma de montar as apresentações do seu projeto, pode se concentrar em encontrar os fornecedores certos.

A Marelli sabe da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

O post 14 principais ferramentas do SketchUp para usar o software como profissional apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>
https://blog.marelli.com.br/pt/ferramentas-sketchup/feed/ 1
5 melhores livros de design de interiores que todo profissional PRECISA ler https://blog.marelli.com.br/pt/melhores-livros-design-interiores/ https://blog.marelli.com.br/pt/melhores-livros-design-interiores/#respond Wed, 04 Sep 2019 19:16:27 +0000 https://blog.marelli.com.br/?p=4452

Seu projeto está parado, por isso precisa de uma inspiração para dar aquele gás? A melhor saída é uma boa leitura. Para ajudar você nessa busca, dê uma olhadinha nos melhores livros de design de interiores que todo profissional deve ler. Tanto para quem está começando como para quem já tem mais tempo de estrada, […]

O post 5 melhores livros de design de interiores que todo profissional PRECISA ler apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>

Seu projeto está parado, por isso precisa de uma inspiração para dar aquele gás? A melhor saída é uma boa leitura. Para ajudar você nessa busca, dê uma olhadinha nos melhores livros de design de interiores que todo profissional deve ler.

Tanto para quem está começando como para quem já tem mais tempo de estrada, uma das melhores maneiras de adquirir habilidades é lendo livros de design de interiores. Você até pode ir a feiras de design de interiores, por exemplo, que também são ótimas opções. Mas não é toda hora que elas acontecem.

Por outro lado, os livros estão ao seu alcance a qualquer momento. Eles são uma grande fonte de conhecimento e bons decoradores não podem parar de alimentar suas mentes. Na verdade, um ótimo profissional nunca para de aprender e de se atualizar, não é mesmo?

Se você é um desses, confira os melhores livros de design de interiores e se você não leu algum deles coloque já na sua lista:

  • Design Brasil, 101 anos de história (Casa Cláudia)
  • Projetando Espaços (Miriam Gurgel)
  • Arte de projetar em arquitetura (Ernst Neufret)
  • Cinquenta cadeiras que mudaram o mundo (Design Museum)
  • Design de interiores – Guia útil para estudantes e profissionais (Jenny Gibbs)

Veja a seguir um breve resumo de cada um dos melhores livros de design de interiores.

5 melhores livros de design de interiores: resumo

1) Design Brasil, 101 anos de história (Casa Claudia)

livro design de interiores

Elaborado pela redação da revista Casa Cláudia, o Design Brasil, 101 anos de história, pode ser considerado como uma bíblia de design e decoração para qualquer profissional da área. 

Ele reúne 84 designers e 400 produtos que mostram a evolução do desenho e das formas no design de interiores do Brasil. Com uma grande quantidade de imagens e detalhes, sem dúvida ele será uma excelente referência de materiais no design de interiores.

Por isso é um dos livros para arquitetos e designers de interiores em início de carreira ou para aqueles que não cansam de pesquisar sobre a área.  

2) Projetando espaços – Design de Interiores (Miriam Gurgel)

O Projetando espaços, Design de Interiores é outro livro de design de interiores importante principalmente para aqueles profissionais que estão começando, pois ele é bastante técnico. Miriam apresenta formas e medidas bem detalhadas para auxiliar na elaboração do projeto. 

A arquiteta Miriam Gurgel mostra mostra soluções diferenciadas para projetos. Ele pode ser considerado um manual essencial tanto para profissionais como para alunos da área de design de interiores. 

Ela apresenta os conceitos e princípios básicos da área de forma bem objetiva e direta. Alia ainda aspectos do cliente e aborda também o espaço físico e tudo aquilo que faz parte de um projeto, como:

  • Materiais
  • Texturas
  • Cores
  • Iluminação
  • Ergonomia

No vídeo abaixo você pode conferir mais detalhes sobre este livro da Miriam Gurgel e também outros dois também escritos por ela. Assista:

3) Arte de projetar em arquitetura (Ernst Neufert) 

materiais no design de interiores

Essa obra de Ernst Neufert consta na lista dos melhores livros de design de interiores, pois além de saber de design e decoração, também é bom que o profissional tenha noções de arquitetura

A arte de projetar em arquitetura é considerada um dos livros de arquitetura mais importantes na área porque ele apresenta todos os elementos do projeto, incluindo design e decoração, mas principalmente estruturas e telhados e também vários tipos de edificações. 

Uma obra muito completa e imprescindível. Um livro de cabeceira que vai fazer parte de toda a vida profissional. 

Ernst Neufert é alemão e começou seu aprendizado como pedreiro em 1914, mas ao longo de sua vida passou por importantes escolas de arquitetura, como a Bauhaus. Ele também estudou na espanha, onde teve um encontro marcante com Antoni Gaudí e trabalhou no escritório de arquitetura de Ricardo Magdalena.

4) Cinquenta Cadeiras que mudaram o mundo (Design Museum)

design e decoração

Diferente dos outros livros citados, o Cinquenta cadeiras que mudaram o mundo possui uma leitura mais leve, mais simples, no entanto não menos importante. 

Já pensou como é importante uma cadeira de escritório ser ergonomicamente correta? Esse livro alia design e ergonomia e mostra as 50 principais cadeiras que impactaram o mundo do design atual. 

Ele cita, por exemplo, a cadeira sem braços Thonet à ChairOne, de Konstantin Grcic. E sobre cada cadeira há uma descrição do aspecto que conferiu a ela seu status icônico e também sobre os designers que marcaram a história por isso. 

5) Design de interiores – Guia útil para estudantes e profissionais (Jenny Gibbs)

melhores livros de design de interiores

De todos os livros citados acima, este é um dos melhores livros de design de interiores mais indicado para estudantes ou quem está no início da carreira – embora nada impeça que profissionais com mais experiência também se beneficiem dele. 

Como o próprio nome explica, é um guia que apresenta os princípios do design, discorre sobre as aptidões necessárias ao profissional e mostra as diferentes opções de desenvolvimento da carreira profissional, falando também sobre o setor. 

O Design de interiores – Guia útil para estudantes e profissionais aborda temas como:

  • Como elaborar o programa de necessidades junto ao cliente
  • Como apresentar desenhos e amostras
  • Como escolher os materiais 
  • Como planejar e gerenciar projetos

Anotou a lista dos melhores livros de design de interiores? 

Já sabe qual pode te ajudar a colocar em prática aquele projeto de decoração incrível que você acabou de conquistar?

Empolgação não falta para você mostrar seu trabalho!

Mas agora ainda falta mais um detalhe e bateu aquela dúvida, qual o melhor fornecedor dos móveis para esse projeto? 

É preciso pensar se a qualidade irá atender seu cliente, se terá a ergonomia adequada e até mesmo se vão entregar e montar no prazo!  

Nós sabemos da importância e responsabilidade que você tem com seu cliente! 

Com o diferencial de oferecermos uma solução completa em assentos, mobiliário e divisórias piso teto, estamos prontos para atender a demanda do seu cliente de forma diferenciada!

Solicite seu Orçamento Agora! ← 

E conte com a qualidade e tradição de uma empresa que está a mais de 35 anos no mercado e possui mais de 30 lojas pelo Brasil e América do Sul!

O post 5 melhores livros de design de interiores que todo profissional PRECISA ler apareceu primeiro em Blog da Marelli - Mobiliário corporativo funcional, promovendo qualidade de vida e bem-estar!.

]]>
https://blog.marelli.com.br/pt/melhores-livros-design-interiores/feed/ 0
"